Sobre a mulher “porca” que fez sexo com dois “campeões” no comboio

Já todos estamos fartos de saber. De ver. De partilhar. O que aconteceu naqueles bancos de comboio. As descrições da cena e dos personagens feita pela comunicação social é clara. Mas se eu não soubesse contar, diria que o sexo estava só a ser praticado por ela. Que a menos que seja a virgem Maria e engravide sabe Deus, não entendi como é que há um pénis. Dois, aliás. A serem penetrados sozinhos. É que só tenho ouvido. Lido, ainda mais. Sobre ela. Quem ela é. E porque fez o que fez. Sobre eles. Pouco ou nada encontrei. Não sei se queriam ser famosos. Se beberam ou consumiram drogas. Ou se simplesmente são uma cambada de idiotas que vieram permitir que se voltasse a pôr em cima da mesa, a podridão da nossa sociedade. Do escrutínio e de todo o julgamento que se faz. Em grupos do WhatsApp, no Instagram, no Twitter, no Facebook (escolham vocês a rede que vos dá mais jeito para continuarem a fazer parte deste crime sem o denunciarem).

Não faço ideia o que motivou a gravação deste vídeo e muito menos sei se a sua divulgação foi combinada. O que sei, com a toda a certeza absoluta é que ela se pôs a jeito, não foi? Um autêntico escândalo ver uma mulher a gostar de fazer sexo a três. Porque achavam vocês que este tipo de prazeres estava só reservado para os homens. É nesta sociedade que crescemos. Os homens podem, devem e mandam. As mulheres ouvem, calam-se e fazem. Estas lutas de género continuam a transparecer à boca cheia e a mulher é sempre coitada e sacrificada. E eu sou mulher. E graças à minha liberdade de poder fazer, falar e usufruir de toda a minha ironia para dizer aquilo que bem me apetecer. Posso com toda a educação sugerir que todos aqueles que continuam a ver os vídeos de olhos esbugalhados e com a curiosidade levantada, ganhem dois dedos de testa.

A mim e a vocês, pouco vos deveria importar a idade dela, se sabia ou não o que estava a fazer ou se o desejo da fama e do dinheiro fácil foi o que os motivou. Eles são tão responsáveis como ela, a partir do momento em que decidiram fazer sexo num local público, a partir do momento em que o gravaram e participaram em tudo isto. Ela estragou a vida dela. E a dos pais. Que um dia, por mais educação e valores que possamos transmitir aos nossos filhos, não estamos livres de lidar com uma situação assim. Há muitas coisas que nós não conseguimos controlar. E isso deixa-me preocupada. Porque enquanto ela é julgada e apedrejada com comentários e se torna personagem de piadas fáceis. Eles, por sua vez, ainda levam palmadinhas nas costas e recebem o título de campeões. É aqui, neste momento, que percebemos o comportamento da nossa sociedade. Em pleno século XXI, ainda nos dividimos entre as virgens ofendidas e os ordinários labregos que analisam esta escandaleira com toda a ignorância que não se importam de ter. Estamos cheios de moralismos, meus senhores… Eu bem sei onde é que os podiam meter.

Partilhar isto:
Voltar ao topo
Translate