Aventura de um amor sincero |

Bastou que entrasse por aquela sala. Quis saber de ti. Não te conhecia, mas desejei saber quem eras. Tinhas uma presença luz que me fez querer-te nos primeiros segundos em que te vi. Nunca acreditei em amor à primeira vista e naquele momento, estava prestes a mudar de opinião. Estavas sentada à secretária. Trabalhavas enquanto te apresentavam. Decorei o teu nome e tive a sensação de que de ti só poderiam vir coisas bonitas.

O meu corpo tremia, a tua pele morena fazia-te mulher e os teus traços definidos faziam-te menina. Sorrias e deixavas-me contagiante com a tua energia. Tinhas uma alma selvagem. A cabeça no lugar e o coração cheio de sonhos. Percebi-te a garra no olá. Tinhas uma voz inocente de quem sabia por experiência que a vida, às vezes não sabe ser bonita. Mas, de repente tinhas tornado a minha a mais bonita de todas.

Sem que te apercebesses, reviraste os meus dias e fizeste-me duvidar do tempo que passei sem acordar ao teu lado. Tinhas atitude e o meu amor por ti crescia. Nunca expliquei a ninguém. Mas sei. Senti. Que estando contigo seria sempre jovem e apaixonado. Sabia que era um amor sincero, daqueles que raramente nos aparece na vida. Dos que nos faz andar descalços pela casa e de copo na mão. Tinhas doçura no paladar e aventura. Não me julgues. Era impossível não me apaixonar por ti. Tinhas fogo. Ainda tens.

Partilhar isto:
Voltar ao topo
Translate